Relatório mostra que “apenas 2% das igrejas têm uma estratégia clara para o ministério infantil”

Ilustração

Foi lançado recentemente por uma equipe internacional de pesquisadores acadêmicos e profissionais do ministério do Brasil, Canadá, Reino Unido e Estados Unidos, um Relatório Multinacional do Ministério da Criança para responder à pergunta ‘Precisamos de um novo plano para o ministério da criança ? ‘.

Segundo o relatório, “é preciso haver comunicação mais clara, maior clareza e um senso de propósito mais forte entre todos os que estão envolvidos na formação da fé das crianças para melhor servir as crianças nas temporadas que virão”.

Por conta das restrições da pandemia, não apenas os programas tradicionais da igreja fecharam, mas também “ muitos pais cristãos se tornaram de fato professores e pastores da Escola Dominical”. Muitos “ sentiram-se mal equipados ” e “o ministério para crianças não foi tão priorizado como o ministério para adultos”.

Para a maioria das crianças, a pandemia afetou negativamente a formação de sua fé”, porque “os recursos fornecidos pelas igrejas tendiam a não ser projetados para serem usados ​​em casa , mas eram uma réplica do que seria usado em uma igreja, e, portanto, muitas vezes eram ineficazes”, diz o relatório.

O relatório também perguntou aos pais “quais eram as necessidades espirituais de sua família para a temporada que se avizinha“. A maioria deles (39%) respondeu que seu desejo era “reintegrar-se na comunidade cristã”. 21% expressaram o desejo de mais discipulado pessoal / familiar .

Quando questionados sobre o papel que as igrejas devem ter na criação da fé de seus filhos, 97% dos entrevistados contaram que “a Igreja não deve ser a liderança nisso , mas sim apoiar os pais, reforçar a nutrição dos pais e estar disponível para aconselhamento, se necessário”.

No entanto, o relatório também apontou que “apenas 2% das igrejas no Reino Unido, Brasil, Canadá e Estados Unidos têm uma estratégia clara para o ministério da família e da criança ; 68% afirmaram não ter nenhum plano para o ministério infantil em seu ambiente, enquanto o restante explicou que estava explorando ou considerando o caminho a seguir”.

De acordo com o relatório, após abordar todas essas preocupações, “é nossa recomendação que uma mudança de paradigma significativa é necessária em toda a Igreja Cristã global , no que diz respeito ao ethos prevalecente e estrutura da formação da fé das crianças”, concluíndo que as igrejas “precisam redobrar seus esforços para apoiar, equipar e capacitar os pais cristãos ” para que “sejam vistos como parceiros na educação dos filhos pela fé, ao invés de prestadores de serviços”. Além disso, “em vez de ser orientado para o conteúdo, há uma necessidade de maior conexão relacional , para que haja mais facilitação dos contatos relacionais para as crianças, principalmente entre as diferentes gerações”.

Por José Souza

Baiano, José Souza é um Jornalista. Atuou como freelancer para diversos sites conhecidos. Hoje, é colaborador do Diário Gospel. (Registro Profissional-5171/BA). E-mail: jjsouza_19@hotmail.com

Confira também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os Direitos Reservados ©2021 Diário Gospel